Ex-catador de lixo ganha último ouro para o Brasil

30 / 10 / 11

Pan: Solonei Silva venceu a maratona com folga e garantiu o 48º ouro do país

Coube ao ex-catador de lixo Solonei Silva a honra de fechar o quadro de medalhas do Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Neste domingo, o paulista de Penápolis venceu a maratona com folga e garantiu o 48º ouro do país, que não disputa mais medalhas na competição.

“Quero mandar um recado para a coleta do Brasil. Vocês são e ouro. Hoje vocês ganharam comigo. Estamos juntos”, disse Solonei, que tem 29 anos, começou a treinar profissionalmente há dois e antes disso trabalhava na coleta de lixo de sua cidade natal.

Solonei, dono do melhor tempo de entrada na prova e favorito para o primeiro lugar, não teve trabalho para conquistar a medalha nas ruas de Guadalajara. O brasileiro se manteve no pelotão de frente até cerca de 10km de prova, quando o outro brasileiro, Jean da Silva, liderava sem se destacar e acabou terminando a prova na nona colocação.

A partir do primeiro quarto da prova, no entanto, Solonei disparou. O brasileiro impôs um ritmo forte mesmo debaixo de um forte sol e não foi incomodado pelos rivais. Os colombianos Diego Alberto Colorado e Juan Cardona fecharam o pódio de uma das últimas provas do Pan de Guadalajara.

Agora, o Brasil só disputa a competição de rúgbi. Como perdeu para o Uruguai por 7 a 0 no primeiro jogo deste domingo, o time verde-amarelo não tem mais chances de medalha e vai brigar para ver quem fica entre o quinto e o oitavo lugar.

Com isso, Solonei é oficialmente o último medalhista de ouro do Brasil no Pan. A vitória coroa um bom trabalho do atletismo brasileiro no México. Foram dez ouros na competição, com seis pratas e sete bronzes. No Pan de 2007, no Rio de Janeiro, tinham sido nove ouros, cinco pratas e nove bronzes, pior que o desempenho atual, portanto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *