O carnaval começa neste sábado em Maceió

03 / 02 / 12

Fim de semana será marcado pelo tradicional Munguzá do Pinto e atração especial para as crianças

Fazendo o caminho inverso ao de outras capitais, como Rio de Janeiro e Salvador, Maceió já se tornou conhecida por antecipar suas comemorações carnavalescas. Por aqui, a farra começa bem antes do próximo dia 18. E, no que depender do Pinto da Madrugada, a brincadeira é ainda mais adiantada: o munguzá do bloco promete animar os foliões já neste sábado (4).

As atividades começam às 7h, em frente ao Hotel Ponta Verde, e serão animadas por uma orquestra e um coral de frevo. Criada há 12 anos junto com o Pinto, a prévia é sempre a primeira do Estado e acontece tradicionalmente uma semana antes do desfile oficial. Segundo um dos criadores, Hermann Braga Lyra, a ideia é chamar a população para participar da festa de momo.

“É munguzá na boca, amor no coração e frevo no pé. Tomando o munguzá, o folião fica com força para o desfile. Esse energético dura uma semana e só consegue desfilar quem toma”, brinca ele, responsável pela fundação do bloco junto com o irmão Eduardo Lyra e os amigos Marcos David e Marcial Lima, falecido no último mês de setembro e o homenageado deste ano.

Em 2011, foram servidas 2.800 porções da iguaria – a expectativa é aumentar ainda mais esse número. Quem estiver por lá também poderá se divertir com outra atração: a competição do mais comilão. “Temos uma comissão fiscalizadora que vê quantas vezes cada um foi pra fila. No final, são entregues os troféus Tigelinha de Ouro, Prata e Bronze”, conta Hermann.

Além do munguzá, a prévia conta ainda com uma atração especial para as crianças. No domingo (5), o dia será delas com a realização de oficinas de boi, máscaras, frevo, perna de pau e pintura. Um coral infantil também vai animar a festa, que acontece nas proximidades do antigo clube Alagoinhas. Realizada anualmente, a ação marca os festejos pelo aniversário do Pinto da Madrugada.

“É uma festa maravilhosa e que pretende familiarizar os pequenos com o frevo, para que elas conheçam essa tradição e não sejam como outras gerações alagoanas que não conheceram esse ritmo, revitalizado nos anos 2000 com o surgimento do bloco”, expõe Braga Lyra, acrescentando que, este ano, mais de 160 mil pessoas devem participar da folia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *