Pesquisa diz que “Dr. Google” está quase sempre errado

26 / 05 / 20

Estudo detectou que, ao pesquisar sintomas na plataforma, em apenas 36% das vezes o primeiro resultado da busca traz um diagnóstico correto

Uma nova pesquisa da Universidade Edith Cowan, na Austrália, aponta que o Google definitivamente não merece o título de “Dr. Google”: a maioria dos “diagnósticos” feitos com base em pesquisas na plataforma de busca estão errados, de acordo com o estudo.

Os cientistas analisaram 36 verificadores de sintomas para dispositivos móveis e descobriram que em apenas 36% das vezes o primeiro resultado da busca está correto. Em 52% das vezes, a resposta certa está entre as três primeiras posições da busca. A pesquisa também descobriu que os conselhos fornecidos sobre quando e onde procurar atendimento médico são precisos em 49% das vezes.

“Todos nós fomos culpados de ser ‘cibercondíacos’ e pesquisar no Google ao primeiro sinal de uma pontada ou dor de cabeça”, comenta Hill. Segundo ela, verificar sintomas online pode fornecer também uma falsa sensação de segurança ao não identificar uma doença ou condição séria.

SAIBA MAIS:

Google Maps terá informações ao vivo do transporte público em 60 cidades brasileiras
Medicina de dados: as promessas (e os desafios) do big data na saúde
Mas, para a autora, esse tipo de informação pode ter, sim, um lugar no sistema de saúde moderno. “Esses sites não substituem o médico, mas podem ser úteis para fornecer mais informações quando você tiver um diagnóstico oficial”, finalizou.
Busca do Google tem novos animais em 3D para tirar você do tédio
Estas 10 mulheres inventoras são as campeãs em buscas no Google
“Embora possa ser tentador usar essas ferramentas para descobrir o que pode estar causando seus sintomas, na maioria das vezes eles não são confiáveis e podem ser perigosos”, diz Michella Hill, principal autora do estudo, em comunicado.

REDAÇÃO GALILEU
24 MAI 2020 – 09H06 ATUALIZADO EM 24 MAI 2020 – 09H06

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *