Paulo Dantas entrega escola indígena a Kariri-Xocós de Porto Real do Colégio

10 / 02 / 24

Para preservar raízes culturais, meta do Governo de Alagoas é entregar 12 unidades de ensino para os povos originários

Autor: Marcelo Alves / Agência Alagoas

Para preservar raízes culturais, meta do Governo de Alagoas é entregar 12 unidades de ensino para os povos originários


Escola irá beneficiar 650 alunos alunos da comunidade indígena Kariri-Xocó

Exemplo nacional em educação, com destaque na redação do Enem e o Cartão Nota 10, que serviu de referência para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançar o programa Pé-de-Meia, o Governo de Alagoas segue aplicado na garantia dos direitos educacionais de seus alunos, em especial os povos indígenas.

 

Nesta quinta-feira (8), o governador Paulo Dantas entregou a Escola Estadual Indígena Pajé Francisco Queiroz Suíra, em Porto Real do Colégio. Com estrutura moderna, a unidade contará com professores qualificados e atenderá 650 alunos da comunidade indígena Kariri-Xocó. Foram investidos R$ 2,4 milhões do Tesouro Estadual.

 

Em seu discurso, Paulo destacou a importância da integração dos conhecimentos para a preservação da identidade indígena e formação de cidadãos. “O objetivo é assegurar ensino de qualidade e levar conteúdo adequado, com a aplicação de todas as disciplinas exigidas pelas escolas tradicionais, mas, respeitando costumes, línguas, crenças e tradições de cada povo originário existente em Alagoas. O objetivo é universalizar a infraestrutura educacional de incentivo à cultura indígena”, disse.

 

A Escola Estadual Indígena Pajé Francisco Queiroz Suíra atendia 105 alunos e, a partir das obras de reforma e ampliação, 545 novas vagas foram criadas, aumentando sua capacidade para 650 alunos. A unidade está instalada na aldeia Kariri-Xocó, considerada uma das maiores de Alagoas em número de nativos, com, aproximadamente, três mil indígenas.

 

Paulo ressaltou que a meta é entregar outras 12 escolas estaduais em comunidades indígenas do estado. Quatro delas já têm ordem de serviço assinada e a mesma quantidade já está passando por reformas nos municípios de Traipu, para atender a tribo Acona; em Pariconha, direcionada aos povos da Karuazy, em São Sebastião, para o grupo Karapetó, e Água Branca, ao Kalanké. Ao todo, serão investidos R$ 15 milhões de recursos próprios do Estado. Em agosto do ano passado, o governador inaugurou a Escola Estadual Indígena Balbino Ferreira, em Palmeira dos Índios, para atender aos indígenas da Serra do Amaro.

 

Além de garantir a escolarização dos Kariri-Xocós, a unidade valorizará os professores indígenas, uma vez que o Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), lançou um Processo Seletivo Simplificado (PSS) para contratar profissionais remanescentes dos povos originários.

 

“A escola vai promover ensino diferenciado e de qualidade, com professores que conhecem a identidade cultural dos indígenas. Essa iniciativa do governador Paulo Dantas é pioneira no estado”, disse a secretária de Estado da Educação, Roseane Vasconcelos.

 

A secretária de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh), Maria José, classificou a inauguração da escola como um ato de reparação histórica. “Sou mulher, indígena, e estou muito feliz. Gostaria de parabenizar o governador pelo olhar diferenciado para as comunidades indígenas, bem como destacar o empenho e determinação da secretária Roseane Vasconcelos”, ressaltou.

 

O diretor da escola, Marcos César, ressaltou a preocupação do governo estadual em preservar a identidade étnico-cultural dos povos indígenas no ambiente escolar. “Esta escola será uma grande aliada para formar e levar nossos alunos para o mundo, mas preservando nossa essência: língua, tradição, cultura e história dos nossos povos indígenas. E isso será garantido através da matriz curricular estadual e pela presença de professores de notório saber. Manter nossa essência é garantir nossa identidade, que é nossa vida”, disse.

 

Como parte da programação do encontro, foi realizada a apresentação do Toré. Pintados e ornamentados com cocar e indumentárias, os indígenas da Kariri-Xocó entoaram cantorias, dançaram e rezaram. Em meio aos indígenas, caciques e pajés, o governador foi convidado para participar da dança.

 

Melhorias

 

A Escola Estadual Indígena Pajé Francisco Queiroz Suíra conta com uma infraestrutura completa e moderna. Há espaços de convívio, refeitório, pátio coberto, sala dos professores, secretaria, diretoria, cozinha, depósito para merenda, banheiros, almoxarifado e quadra esportiva. Das nove salas de aula, quatro delas foram ampliadas, assim como o almoxarifado, as passarelas, o laboratório e os banheiros com acessibilidade.

 

Estiveram presentes à solenidade, o pajé Júlio Queiroz Suíra, filho do pajé Francisco Queiroz Suíra, que dá nome à escola, e os deputados estaduais Alexandre Ayres, Dudu Ronalsa e Remi Calheiros e lideranças plíti8cas da região.  Também participaram o prefeito de Porto Real do Colégio, Aldo Popular, representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *