Antônio

Será que já nascemos com certa “maldade”?

O homem nasce bom, mas a sociedade o corrompe ou será que já nascemos com certa "maldade"? Você concorda com a "tradicional" frase??
Do jeito que as coisas andam ultimamente, às vezes eu me pergunto se temos certa "maldade" por natureza…
Para mim, parece que sim, parece que somos umas das criaturas mais cruéis no universo – mesmo sendo as únicas dotadas do poder de falar e de certa "racionalidade", que muitos falam em isso ser o que nos diferencia dos outros seres vivos.
Acho que somos pessoas um pouco más…
O que ocorre é que às vezes a gente "acorda" essa maldade, às vezes ela fica "adormecida"; alguns a desenvolvem de modo acentuadíssimo, tornando-se pessoas sem fidelidade, sensibilidade ao próximo, puxa-sacos, arrogantes, preocupadas com aparência, ou viram marginais; outras- e, portanto, pouquíssimas pessoas – não a desenvolvem de modo tão acentuado, (se compararmos com a maioria da população) e tornam-se pessoas que tomam alguma atitude que acaba por beneficiar a humanidade….
“O homem nasce bom, mas a sociedade o corrompe"…
A sociedade é feita de homens, e se o homem nasce bom, como uma reunião de bons pode corromper?
Acho que nascemos com certa inclinação para o que é mal. Por isso o homem tem que se esforçar para ser bom e, talvez por preguiça, muitos preferem seguir a tendência de permanecer maus.
Se temos consciência, podemos muito bem ser capazes de não nos deixarmos ser influenciados pelos outro. Tentar agir da forma correta nos exige, com certeza, um grande esforço…
Assim, o mau parte de nós mesmos: é mais fácil ir pro lado "errado" da coisa, é mais "instintivo". Acho que nascemos com um "vácuo", se posso dizer assim, um espaço vazio prá ser preenchido com conteúdos de uma boa ou má influência externa, seja da educação familiar, seja do meio social como um todo. Daí surge a personalidade.
Aquilo em que nos transformamos foi, seguramente, moldado pelo meio em torno a nós. Se esse meio me preencheu de amor, fé, confiança, alegria, por exemplo, serei o intérprete fiel deles no palco da vida.
Nascemos com um outro espaço "já preenchido" prá fazer o contraponto, podemos dizer. É o que Jung chama de nossa "memória coletiva", dos "arquétipos".
E é aqui que concordo contigo quando dizes que "a gente acorda essa maldade… ou às vezes ela fica adormecida".
Daí concluo dizendo que não nascemos nem MÁS nem tão pouco BOAS pessoas. Nascemos "inclinadas" a sermos más ou boas, conforme o preenchimento daquele vácuo inicial.
Portanto, a educação de base, da família é FUNDAMENTAL na direção do homem pro mal ou pro bem.
Minha vó repetia sempre: "Andes com o bem que serás bom como ele. Andes com o mal e serás pior do que ele”.
SEM CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO, VAMOS LUTAR POR UM MUNDO MELHOR, SEM EGOISMO, ORGULHO, FALSIDADE E AMBIÇÃO. CHEGA DE CORRUPÇÃO NESTE MUNDO.

Este Blog é independente, todo conteúdo é de responsabilidade do seu idealizador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *